COMO SE CLASSIFICAM OS RESÍDUOS SÓLIDOS?

COMO SE CLASSIFICAM OS RESÍDUOS SÓLIDOS?

Entenda quais fatores a NBR 10004/2004 leva em consideração para classificar os resíduos sólidos

Em 1987 surgiu a primeira norma técnica referente à classificação dos resíduos sólidos, a NBR 10004/1987, entretanto, devido à crescente preocupação da sociedade com as questões ambientais e o desenvolvimento sustentável, em 2004 foi realizada a revisão dessa norma, com o objetivo de aperfeiçoá-la e facilitar o gerenciamento e tratamento de resíduos sólidos.

Segundo a NBR 10004/2004, para fazer a classificação dos resíduos sólidos é necessário identificar o processo ou atividade que lhes deu origem, analisar seus constituintes e características e realizar a comparação destes constituintes com as listagens de resíduos e substâncias cujo impacto à saúde e ao meio ambiente é conhecido. Essas listagens estão disponíveis na própria norma para consulta.

Basicamente, a norma classifica os resíduos sólidos em duas classes, sendo a classe I composta pelos resíduos perigosos, que podem apresentar riscos ao meio ambiente e à saúde pública e a classe II, composta por resíduos não perigosos. A figura abaixo mostra um esquema da classificação de resíduos sólidos segundo a NBR 10004.

Resíduos Classe I - Perigosos

Essa classe de resíduos é a que mais necessita de atenção, pois podem causar acidentes de grave impacto ambiental caso não sejam tratados e destinados corretamente. Os resíduos perigosos apresentam pelo menos uma dessas características:

– Inflamabilidade: facilidade de queimar ou entrar em ignição, causando fogo ou combustão;

– Corrosividade: capacidade de danificar ou destruir substâncias ou superfícies com as quais esteja em contato por ação química.

– Reatividade: tendência a ocasionar uma reação química;

– Toxicidade: capacidade de uma substância química produzir um efeito nocivo ao interagir com um organismo vivo;

– Patogenicidade: capacidade de um microrganismo provocar alterações fisiológicas no hospedeiro, ou seja, produzir doença;

Alguns exemplos de resíduos classe I: óleos e graxas, tintas, resíduos hospitalares, pilhas e baterias, lâmpadas fluorescentes e produtos químicos.

Resíduos Classe II - Não Perigosos

São aqueles que não apresentam periculosidade à saúde pública e ao meio ambiente. Os resíduos classe II são ainda, subdivididos em duas categorias, A para resíduos não inertes e B para resíduos inertes.

Classe II – A: Os Resíduos Classe II – A não inertes são aqueles que apresentam características como biodegradabilidade, combustibilidade ou solubilidade em água.

Alguns exemplos de Resíduos Classe II – A: resíduos orgânicos de indústrias alimentícias, lodos provenientes de ETE’s e ETA’s, leite condenado, cinzas de caldeira.

Classe II – B: Os Resíduos Classe II – B inertes não são solúveis em água e não sofrem qualquer tipo de alteração em sua composição com o passar do tempo. 

Alguns exemplos de Resíduos Classe II – B: entulhos de demolição, sucata de ferro e aço.

Através de NBR 10004:2004 é possível identificar e classificar os resíduos sólidos e com isso, determinar o melhor tratamento e destinação para os mesmos, evitando impactos negativos ao meio ambiente e à saúde pública.

A EcoAdubos é uma empresa especializada na gestão, tratamento e destinação final de resíduos sólidos e líquidos de origem controlada (Classe II-A).

Ficou com dúvidas? Entre em contato!

Buy now